Organizações Sociais de Curitiba se reúnem na sede da Irmandade Betânia para discutir ações coletiva

Na última quinta-feira, dia 9 de junho, na sede da Irmandade Betânia foi realizada a Reunião Mensal da Rede do Terceiro Setor. Mais de 30 organizações sociais de Curitiba e região metropolitana estiveram presentes em um momento de networking, ideias e planejamento de ações conjuntas.


Para Mauren Neufeld, gestora da Irmandade Betânia, o encontro proporciona muitos insights para os participantes e fortalece as organizações da sociedade civil (OSC). “A cada encontro da Rede aprendemos muito uns com os outros, pois como somos uma rede de organizações totalmente orgânica e horizontal, essa troca é muito valiosa. São tratados temas, ideias e práticas que nos ajuda no dia a dia dentro das nossas organizações. Para a Irmandade, é um prazer receber a todos na reunião mensal e caminhar com a Rede há mais de 7 anos”, afirmou.


A reunião foi marcada por um café de abertura com oferecimento da Pousada Betânia e Escola Nilza Tartuce, apresentação do andamento das propostas de cada Grupo de Trabalho (GT), que são 5 divididos nos temas: revisão e diretrizes da Rede; Nota Paraná; repasses; Lei de Combate ao Desperdício Alimentos; e, fórum e audiência pública.


“Fazer parte da Rede do Terceiro setor de Curitiba, participar dos encontros da rede presenciais em um lugar como da Irmandade Betânia é uma experiência incrível tanto pela hospitalidade e acolhida de todos, quanto pelas trocas de experiências para o fortalecimento, articulações das políticas públicas que a Rede participa e do impacto social gerado pela sociedade civil organizada”, é o que aponta Charles Renner, diretor da Associação Beneficente Encontro com Deus.


Os GTs estão trabalhando em prol de ações que mobilizam as organizações, mas também envolvem o primeiro e segundo setor da sociedade, como a proposta de um fórum para debater demandas principais das OSCs antes da audiência pública agendada para agosto. “É preciso dar visibilidade às ações e ter o reconhecimento traduzido na valorização por parte do poder público é o grande desafio. A sociedade civil organizada é uma potência no Brasil pois executa serviços qualidade, com capilaridade e diversidade e com pouco recurso. Ela é um exemplo de uma sociedade que se preocupa com os mais vulneráveis e precisa ser ouvida e valorizada por todos, principalmente os governantes”, afirma Charles.


A reunião também teve espaço para divulgações de eventos futuros, como o próximo Fórum de Desenvolvimento do Terceiro Setor da Irmandade Betânia, que será realizado no dia 18 de agosto e será sobre o tema “ESG na prática: diálogos entre os setores”.


“Participei presencialmente pela primeira vez do encontro da Rede do Terceiro setor e fiquei altamente motivado ao presenciar o engajamento dos participantes na luta pelas várias causas humanitárias. Com certeza, a Rede está fazendo diferença. Parabéns aos facilitadores e participantes“, relatou Acyr de Gerone, advogado.

Por Carolina Chueire




Destaque

Últimas Notícias

Notícias Anteriores